bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Déficit em contas externas em março soma US$ 6,873 bi

Depois de um forte rombo em janeiro e de um déficit de US$ 6,625 bilhões em fevereiro, o resultado das transações correntes em março seguiu negativo, desta vez em US$ 6,873 bilhões. O saldo, divulgado pelo Banco Central, nesta quarta-feira, ficou um pouco acima da mediana negativa de US$ 6 bilhões indicada pelo levantamento do AE Projeções realizado com 25 instituições financeiras. As estimativas iam de déficit de US$ 5 bilhões a US$ 7,1 bilhões.

CÉLIA FROUFE E EDUARDO CUCOLO, Agencia Estado

24 de abril de 2013 | 11h25

No primeiro trimestre do ano, o déficit em conta corrente está em US$ 24,858 bilhões, o que representa 4,31% do Produto Interno Bruto (PIB). Já no acumulado dos últimos 12 meses até março de 2013, o rombo é de US$ 67,027 bilhões, o equivalente a 2,93% do PIB.

Em março, o saldo da balança comercial foi de US$ 161 milhões, enquanto a conta de serviços ficou negativa em US$ 3,737 bilhões. Já a conta de rendas registrou déficit de US$ 3,502 bilhões.

IED

Os Investimentos Estrangeiros Diretos (IED) somaram US$ 5,739 bilhões em março, abaixo dos US$ 5,897 bilhões de igual período de 2012. No acumulado do ano até março, o IED somou US$ 13,256 bilhões (2,30% do PIB). No mesmo período do ano passado, o IED acumulado somou US$ 14,949 bilhões (2,76% o PIB). No acumulado em 12 meses até março, o IED está em US$ 63,579 bilhões, o que corresponde a 2,78% do PIB.

Remessas de lucros

O saldo de remessas de lucros e dividendos somou US$ 2,732 bilhões no mês passado. Em março de 2012, a saída líquida chegou a US$ 1,965 bilhão. No primeiro trimestre de 2013, as remessas líquidas somam US$ 6,974 bilhões, ante US$ 3,474 bilhões vistos de janeiro a março de 2012.

O BC informou ainda que as despesas com juros externos foram de US$ 811 milhões em março e de US$ 3,146 bilhões no trimestre. Em 2012, o gasto com juros foi de US$ 443 milhões em março e de US$ 2,448 bilhões no acumulado do ano até março.

A conta de viagens internacionais registrou um déficit de US$ 1,271 bilhão em março. Esse saldo negativo é resultado do volume de despesas pagas por brasileiros no exterior (US$ 1,870 bilhão) acima das receitas obtidas com turistas estrangeiros em passeio pelo Brasil (US$ 599 milhões).

O saldo negativo foi maior do que o visto em março de 2012, de US$ 997 milhões. No acumulado do ano até o mês passado, o déficit da conta de viagens soma US$ 4,105 bilhões, ante US$ 3,461 bilhões vistos em igual período de 2012.

Empréstimos

Segundo o BC, a taxa de rolagem de empréstimos de médio e longo prazos captados no exterior ficou em 251% em março. A rolagem de papéis ficou em 693% no mês passado. Já a rolagem de empréstimos diretos teve uma taxa de 138% no mesmo período.

No mesmo período do ano passado, a taxa geral foi de 201%, sendo 241% para papéis e 177% para empréstimos. No acumulado do ano, a taxa geral de rolagem está em 269%, sendo 147% para papéis e 336% para empréstimos diretos.

Renda fixa

O investimento estrangeiro em títulos de renda fixa negociados no País somou US$ 564 milhões em março. Em março de 2012, essa conta estava em US$ 334 milhões. No primeiro trimestre deste ano, o saldo acumula US$ 1,938 bilhão, ante US$ 639 milhões verificados de janeiro a março de 2012.

O investimento externo em ações brasileiras ficou positivo em US$ 2,388 bilhões em março. Em igual período de 2012, o saldo havia sido de apenas US$ 131 milhões. Nos três primeiros meses deste ano, os investimentos estrangeiros em ações brasileiras somam US$ 7,688 bilhões, enquanto em 2012, no mesmo período, estavam em US$ 5,193 bilhões.

Tudo o que sabemos sobre:
BCCONTAS EXTERNAS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.