Déficit na balança de químicos já subiu 71% no ano

O movimento de aceleração do déficit comercial da indústria química brasileira se confirmou em maio, quando a entrada de produtos superou as exportações em cerca de US$ 2 bilhões. Com isso, o déficit comercial do setor, no acumulado de janeiro a maio, somou aproximadamente US$ 7,5 bilhões, alta de 71,3% em relação a igual período de 2007. Em abril, o déficit comercial ficou em US$ 1,3 bilhão.As importações brasileiras no acumulado do ano cresceram 41,6%, para US$ 12,2 bilhões. Já as exportações tiveram alta de 11,1%, para aproximadamente US$ 4,7 bilhões. Em volume, as importações cresceram 10%, para 11,3 milhões de toneladas, enquanto que as exportações tiveram queda de 1,6%, para 4,1 milhões de toneladas.De acordo com a Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim), a expansão do déficit comercial foi ocasionada principalmente pela elevação dos preços de produtos químicos no mercado internacional. Apenas no segmento de intermediários para fertilizantes, item de maior peso na pauta de importações de produtos químicos do Brasil, a elevação nos preços, em maio, foi de 109,3% na comparação com o mesmo mês de 2007. No acumulado dos cinco primeiros meses de 2008, as importações de intermediários para fertilizantes cresceram 104,1%, para US$ 2,7 bilhões.No início do ano, a Abiquim projetou que o déficit comercial do setor em 2008 ficasse entre US$ 15 bilhões e US$ 16 bilhões, mas o resultado dos cinco primeiros meses poderá levar a entidade a rever para cima suas projeções.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.