Déficit nas contas da Previdência tem queda de 58%

As contas da Previdência Social apresentaram, em maio, um déficit de R$ 2,4 bilhões, uma queda de 58% na comparação com abril e de 12,2% na comparação com maio de 2010. No ano, o rombo chega a R$ 17,8 bilhões, um montante 16,5% menor do que o déficit acumulado entre janeiro e maio de 2010.

, O Estado de S.Paulo

29 de junho de 2011 | 00h00

A redução drástica do déficit em relação a abril é explicada pelo fato de a Previdência ter concentrado pagamento de precatórios judiciais naquele mês, fato que não ocorreu em maio. Já a melhoria nos primeiros cinco meses do ano foi provocada pelo aumento do emprego formal e dos salários. Por causa disso, a arrecadação previdenciária na área urbana vem batendo recordes sucessivos, chegando a R$ 18,2 bilhões em maio. No segmento rural, porém, a previdência segue registrando déficit.

Caso não haja um entendimento entre governo e centrais sindicais em torno da reforma previdenciária até setembro, o Executivo deverá encaminhar sua proposta ao Congresso Nacional. "É isso que vou propor à presidenta", disse o ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves.

Em maio, ele apresentou à Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado uma proposta pela qual o fator previdenciário seria substituído pelo estabelecimento de idade mínima para aposentadoria, que seria de 63 anos para mulheres e 65 para homens. Ontem, ele disse que essa proposta poderia ser negociada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.