Déficit nominal do Brasil deve fechar 2005 em 3,6% do PIB

O chefe-adjunto do Departamento Econômico do Banco Central, Luiz Malan, disse hoje que o déficit nominal do setor público - arrecadação menos as despesas, incluindo o pagamento de juros - deverá fechar o ano em 3,6% do PIB, ante 2,67% do PIB registrado em 2004. O crescimento do déficit, segundo ele, será provocado pela elevação da taxa média de juros e pela queda dos ganhos do BC com as operações de swap cambial (troca de títulos remunerados por juros por papéis cotados em dólar). Ele lembrou que no ano passado a média dos juros ficou em 16,25%. Para este ano, o mercado estima uma taxa média de juros de 19% ao ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.