Déficit nominal do setor público fica em R$ 2,893 bi

O déficit nominal do setor público de outubro foi de R$ 2,893 bilhões. O valor divulgado hoje pelo Departamento Econômico do Banco Central (BC) é inferior aos R$ 3,674 bilhões de setembro e também veio abaixo dos R$ 8,285 bilhões de igual mês do ano passado. O governo central teve déficit nominal em outubro último de R$ 754 milhões, com o governo federal e a Previdência Social registrando um superávit nominal de R$ 985 milhões e o BC tendo déficit de R$ 1,739 bilhões. Os governos regionais tiveram déficit nominal no mesmo período de R$ 3,015 bilhões, com os Estados tendo déficit de R$ 2,874 bilhões e os municípios outro de R$ 141 milhões. As empresas estatais, por sua vez, tiveram superávit nominal de R$ 875 milhões, com R$ 454 milhões das federais, R$ 450 milhões das estaduais e um déficit nominal de R$ 29 milhões das municipais. De janeiro a outubro O déficit nominal do setor público acumulado de janeiro a outubro era de R$ 59,691 bilhões (4,71% do PIB). O valor é superior aos R$ 33,113 bilhões (3,08% do PIB) de igual período do ano passado. No período de janeiro a outubro deste ano, o governo central tem um déficit acumulado de R$ 43,895 bilhões (3,47% do PIB), sendo R$ 46,570 bilhões (3,68% do PIB) do governo federal e da Previdência Social e R$ 2,675 bilhões (0,21% do PIB) de superávit do BC. Os governos regionais tinham no mesmo período um déficit acumulado de R$ 21,197 bilhões (1,67% do PIB), sendo R$ 17,383 bilhões (1,37% do PIB) dos governos estaduais e R$ 3,814 bilhões (0,30% do PIB) das prefeituras. As empresas estatais, por sua vez, acumulavam um superávit de R$ 5,401 bilhões (0,43% do PIB), com R$ 3,125 bilhões (0,25% do PIB) sendo das estatais federais, R$ 2,277 bilhões (0,18% do PIB) das estaduais e R$ 1 milhão (0,00% do PIB) de déficit nominal das municipais. Em 12 mesesO déficit nominal do setor público acumulado em 12 meses até outubro correspondia a R$ 88,193 bilhões (5,83% do PIB). O valor é inferior aos R$ 93,585 bilhões (6,29% do PIB) de déficit acumulado em 12 meses até setembro. No período de 12 meses até outubro, o déficit nominal do governo central estava em R$ 49,849 bilhões (3,29% do PIB), sendo R$ 54,133 bilhões (3,58% do PIB) de déficit do governo federal e da Previdência Social e R$ 4,284 bilhões (0,28% do PIB) de superávit nominal do BC.Os governos regionais tinham no mesmo período um déficit acumulado de R$ 44,599 bilhões (2,95% do PIB), sendo R$ 37,059 bilhões (2,45% do PIB) dos governos estaduais e R$ 7,540 bilhões (0,50% do PIB) dos governos municipais. As estatais, em contrapartida, tinham um superávit nominal acumulado no período de R$ 6,256 bilhões (0,41% do PIB), sendo R$ 3,521 bilhões (0,23% do PIB) das federais, R$ 2,779 bilhões (0,18% do PIB) das estaduais e R$ 45 milhões (0,00% do PIB) de déficit nominal das estatais municipais. Dívida bruta A dívida bruta do governo geral (governo federal, governos estaduais e municipais e seus agentes econômicos) correspondia R$ 1,231 trilhão (79,2% do PIB) em outubro. Em setembro, a dívida bruta estava em R$ 1,230 trilhão (79,8% do PIB) e o valor de dezembro do ano passado correspondia a R$ 1,132 trilhão (72,7% do PIB). Despesa com juros nominais As despesas do setor público com o pagamento de juros nominais foram de R$ 9,851 bilhões em outubro. O valor é menor que os R$ 11,458 bilhões de setembro e inferior aos R$ 14,568 bilhões de outubro do ano passado. No período de janeiro a outubro, os gastos com juros estão acumulados em R$ 123,726 bilhões (9,77% do PIB), valor maior que os R$ 87,016 bilhões (8,63% do PIB) de igual período do ano passado. No período de 12 meses até outubro último, as despesas com juros estão acumuladas em R$ 150,714 bilhões (9,96% do PIB), sendo inferior aos R$ 155,431 bilhões (10,45% do PIB) de 12 meses até setembro. Leia também:Setor público tem superávit primário de R$ 6,958 bilhões Resultado foi o melhor dos meses de outubro desde 1991, diz BC

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.