finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Déficit orçamentário britânico recua em agosto

O Reino Unido tomou menos empréstimos do que o esperado em agosto, uma vez que os departamentos governamentais controlaram os gastos, mas os dados oficiais mostraram pouca evidência de que a recente recuperação na atividade econômica está se traduzindo em um aumento das receitas fiscais.

AE, Agencia Estado

20 de setembro de 2013 | 08h30

O Escritório de Estatísticas Nacionais disse que os empréstimos líquidos do setor público, medida preferida do governo do déficit orçamentário, foi de 13,2 bilhões de libras (US$ 21,19 bilhões) em agosto, em comparação com 14,4 bilhões de libras no mesmo mês do ano passado. Economistas previam que os empréstimos líquidos do setor público ficariam em 13,5 bilhões de libras.

Nos últimos meses, os dados econômicos indicaram que uma recuperação está começando a se firmar no Reino Unido

À medida que a economia se fortalece, esta recuperação deve conduzir a uma melhoria das finanças públicas, com as receitas fiscais de empresas, vendas e emprego impulsionando os cofres do governo. Ao mesmo tempo, o montante que o governo tem de pagar em questões sociais, como o auxílio-desemprego, deve cair.

Um estatístico do ONS disse nesta sexta-feira que há pouca evidência até agora de um aumento na arrecadação de impostos por causa da melhora da atividade. No entanto, ele disse que uma taxa sobre as compras de imóveis residenciais tem se fortalecido entre abril e agosto, refletindo um aumento nas vendas de imóveis.

O detalhe dos dados mostram que as receitas fiscais do governo aumentaram 1,4% para 41,2 bilhões de libras em agosto, enquanto os gastos do governo caíram 2,2% para 51,3 bilhões de libras. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
reino unidoorçamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.