Déficit previdenciário tem queda, mas atinge R$ 2,440 bilhões

O déficit das contas da Previdência Social diminuiu 38,6% em fevereiro, na comparação com o mesmo mês de 2005. O dado, divulgado nesta quarta-feira pelo Ministério da Previdência Social, apontou que no mês passado faltaram R$ 2,440 bilhões em caixa, contra um saldo negativo de R$ 3,974 bilhões. Em relação a janeiro deste ano, quando o rombo nas contas da Previdência foi de $ 4,855 bilhões, o déficit caiu 49,7%. Nas comparações já está descontada a correção da inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).A arrecadação líquida da Previdência somou R$ 9,318 bilhões, com crescimento de 20,8% em relação aos R$ 7,712 bilhões de fevereiro do ano passado. Na comparação com janeiro, quando foram acumulados R$ 8,222 bilhões, o salto foi de 13,3%.As despesas com o pagamento de benefícios somaram R$ 11,759 bilhões, o que representou um crescimento de 0,6% sobre o mesmo mês de 2005, quando foram gastos R$ 11,686 bilhões. Na comparação com janeiro, que teve R$ 13,077 bilhões em despesas, houve queda de 10,1%.Segundo o Ministério da Previdência, a melhora do resultado das contas refletiu o bom desempenho da arrecadação e a melhoria da gestão no pagamento de benefícios. Resultado positivoO secretário de Previdência Social do Ministério da Previdência, Helmut Schwarzer, considerou "bastante positivo" o resultado das contas da Previdência Social em fevereiro."O resultado mostrou uma queda de quase 50% sobre janeiro. Eu digo isso porque no mês passado as manchetes dos jornais eram de que o déficit explodiu. Agora, podem colocar na primeira página que o déficit caiu pela metade", disse. Ele ponderou que, em janeiro, o resultado pior das contas da Previdência refletiu o aumento que não era esperado de despesas decorrentes de sentenças judiciais e de transferências a terceiros da arrecadação para o chamado "Sistema S" (Senai, Sesc e Sesi) e o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).Segundo o secretário, em janeiro o Conselho de Justiça Federal antecipou pagamentos de precatórios que iriam ser feitos ao longo do ano. Por conta dessa antecipação, as despesas com sentenças judiciais saltaram para R$ 1,5 bilhão e, em fevereiro, se voltaram para os níveis esperados de R$ 331,9 milhões.Na sua avaliação, o incremento da arrecadação refletiu a melhoria da gestão da Previdência na cobrança das contribuições. Também favoreceu o resultado o aumento do emprego formal. "O ministro do trabalho (Luiz Marinho) divulgou ontem resultados recordes para o emprego com carteira assinada", comentou Schwarzer.Este texto foi atualizado às 14h horas

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.