ALEJANDRO PAGNI / AFP
ALEJANDRO PAGNI / AFP

Déficit primário deve ser de até R$ 126 bilhões em 2018, diz Temer

Meta fiscal estipulada neste ano era de um déficit primário de R$ 159 bilhões

Mateus Fagundes, O Estado de S.Paulo

06 Dezembro 2018 | 20h58

O presidente Michel Temer afirmou na noite desta quinta-feira, 6, durante homenagem que recebe na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), que o déficit primário de 2018 vai ser menor do que o anteriormente previsto.

"Ontem (quarta-feira) mesmo, o Eduardo Guardia (ministro da Fazenda) comentou comigo que o déficit não vai ser mais de R$ 159 bilhões, mas sim entre R$ 125 e R$ 126 bilhões", afirmou Temer, em discurso na sede da entidade, em São Paulo.

Durante sua fala, Temer ressaltou as medidas que tomou desde que assumiu a Presidência, em maio de 2016, e disse que elas foram responsáveis pela retomada da credibilidade do País.

Na visão do presidente, o trabalho que ele conduziu no governo "começa agora a ser reconhecido". "Umas das provas de que fizemos um bom trabalho é que nossos ministros estão sendo chamados a outros governos, como aqui em São Paulo e no Distrito Federal", ressaltou.

Previdência

O presidente afirmou ainda que se "regozija" de ter colocado a reforma da Previdência na pauta política do País. "A prova disso é que o governo eleito colocou o tema como uma das prioridades", disse o presidente.

Antes da fala de Temer, o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, disse que Temer fez todos os esforços possíveis pela reforma da Previdência. "A vontade dele era não só aprovar a reforma da Previdência, como também a reforma tributária", comentou Skaf.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.