Definição das férias deve ser feita com antecedência

Negociar com antecedência o período de férias pode ser a diferença entre ver frustrados os planos para o período de folga ou aproveitar dias de frente para o mar em um lugar paradisíaco. Para fugir dos erros, especialistas em recursos humanos recomendam planejamento às empresas e muita paciência aos trabalhadores.

O Estado de S.Paulo

18 de dezembro de 2011 | 03h09

"O importante é todos manifestarem o desejo (do momento em que pretendem se ausentar). Depois, o gestor vai compatibilizar todas as datas", diz o diretor de novos serviços e produtos da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH-Nacional), Cezar Tegon.

O levantamento de preferências, segundo ele, deve levar em conta todo o ano. "E a pessoa deve participar da decisão de quando poderá tirar férias. É importante negociar de forma transparente", completa.

Feita a definição de datas, as empresas devem preparar previamente os colaboradores para a ausência dos colegas, de acordo com a diretora de recruitment services da Business Partners Consulting, Bárbara Will. "Com um mês de antecedência para o funcionário sair de férias, ele pode treinar a pessoa que o substituirá. Isso depende muito da estrutura das áreas da empresa, mas, em cada função, normalmente há pares que podem se alternar."

A folga de superiores, segundo Bárbara, também pode ser uma oportunidade para que os outros colaboradores mostrem capacidade de assumir responsabilidades adicionais. Já Tegon acredita que o atual momento do mercado - de escassez de mão de obra - dê mais condições de negociação aos trabalhadores: "Hoje, não dá para imaginar que férias não importam".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.