Definição de construtores e fornecedores de Belo Monte deve ocorrer na próxima semana

Segundo ministra-chefe da Casa Civil, essa é a expectativa para decisão sobre o assunto

Leonardo Goy, da Agência Estado,

29 de julho de 2010 | 11h27

A ministra-chefe da Casa Civil, Erenice Guerra, disse nesta quinta-feira, 29, que na semana que vem deverão ser definidos os fornecedores de equipamentos e as empresas que serão contratadas para construir a hidrelétrica de Belo Monte, no Rio Xingu (PA). "Tenho quase certeza que até meados da semana que vem teremos a definição dos construtores e também dos fornecedores de equipamentos", disse a ministra ao chegar para a reunião do Conselho de Administração da Eletrobrás, do qual faz parte. O grupo estatal detém a maior fatia societária no Consórcio Norte Energia, vencedor do leilão de concessão do projeto. O grupo tem 49,98% de participação.

Na semana passada, uma fonte que acompanha de perto as negociações em torno da usina, disse que a argentina Impsa é favorita para levar o contrato para vender as turbinas. Já para a construção da usina, segundo essa mesma fonte, haveria uma preferência nos bastidores pela Andrade Gutierrez.

Erenice Guerra disse que, nas últimas semanas, recebeu representantes de empresas interessadas em fornecer equipamentos para Belo Monte, como a argentina Impsa e também a francesa Alstom, que também fabrica turbinas para hidrelétricas.

Na sexta-feira, 30, termina o prazo para que o Norte Energia apresente à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) a papelada que formaliza a formação da Sociedade de Propósito Específico (SPE), responsável pelo projeto. Além disso, no dia 16 de agosto termina o prazo para que os empreendedores depositem a garantia financeira que atesta que vão cumprir o contrato de construir a usina.

Erenice também falou sobre a aquisição de 22,4% da Oi pela Portugal Telecom. "Este assunto está sendo tratado pelos acionistas privados e pelo BNDES, e não temos conhecimento de todos os detalhes".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.