Deflação volta a desacelerar em São Paulo

A deflação do Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) voltou a perder força em São Paulo no período encerrado em 22 de julho. Segundo divulgou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta segunda-feira, a queda foi de 0,04%, ante retração de 0,13% apurada no levantamento anterior, de até 15 de julho. A causa, segundo a fundação, foi a queda menos intensa dos preços do grupo Alimentação. A taxa ficou dentro das estimativas dos analistas do mercado financeiro ouvidos pela Agência Estado, que esperavam um resultado entre -0,09% e 0,04%; e abaixo da mediana das expectativas (-0,03%). Conforme a pesquisa, os alimentos passaram de queda de 0,64% para retração de 0,35%. Assim como Alimentação, Transportes teve uma desaceleração no ritmo de queda na passagem entre os dois levantamentos. No caso de Educação, Leitura e Recreação, Hou vê alta na taxa. Habitação, Saúde e Cuidados Pessoais e Vestuário tiveram desaceleração ou queda de preços. Os preços de Despesas Diversas mantiveram-se estáveis.Produtos Por produtos, as altas de preço mais expressivas foram registradas em mamão da amazônia - papaya (27,75%); plano e seguro saúde (1,02%) e uva (28,99%). As maiores quedas ficaram a cargo do (-22,32%); feijão carioquinha (-6,87%) e laranja pêra (-6,36%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.