Delegado aponta quarto envolvido em supostas fraudes contra Santander

O delegado Ruy Ferraz Fontes, da Delegacia de Roubo a Bancos do Departamento de Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic), divulgou nesta quinta-feira o nome do quarto envolvido nas supostas fraudes cometidas contra o Banco Santander. Trata-se de Alcyr Duarte Colasso Júnior, diretor da Corretora Ipanema, uma empresa de pequeno porte. Colasso, que está com a prisão provisória decretada, continua foragido. De acordo com denúncia feita pelo Santander, Colasso daria suporte às fraudes cometidas por três ex-operadores do banco: Marcos Aylon Leão Luz, Roberto Cantoni Rosa e Lincoln Dias Miranda. Os três também tiveram a prisão provisória decretada e foram presos há dez dias.Nesta quinta-feira, o juiz Marcos Zilli, do Departamento de Inquéritos Policiais (Dipo), determinou que Miranda fosse libertado, por falta de provas. De acordo com o Santander, as fraudes foram cometidas a partir do mês de agosto de 2001. Miranda deixou de ser funcionário em junho. Aylon e Cantoni tiveram a prisão preventiva decretada nesta quarta-feira. O advogado Carlos Kauffman, que defende os ex-operadores, entrou nesta quinta com pedido de habeas-corpus em favor dos dois no Tribunal de Justiça (TJ) de São Paulo. Na segunda feira, quando prestaram depoimento pela primeira vez, Aylon e Cantoni afirmaram que estão sofrendo represália porque se negaram a continuar maquiando resultados de operações, conforme lhes havia sido determinado pelo chefe da mesa de operações, Benedito César Luciano. O Santander, por intermédio de sua assessoria de imprensa, informou que não vai se pronunciar sobre o caso enquanto o inquérito estiver em andamento, "para não atrapalhar as investigações".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.