Delta Air Lines tem lucro trimestral acima das expectativas

A empresa teve lucro líquido de US$ 363 milhões, ou  US$ 0,43 por ação, no terceiro trimestre, comparado ao prejuízo de US$ 161 milhões, ou US$ 0,19 por ação, um ano antes

Reuters,

20 de outubro de 2010 | 12h17

A Delta Air Lines reportou lucro trimestral acima das expectativas nesta quarta-feira, 20, com ajuda da demanda por viagens internacionais. A empresa disse que espera registrar lucro no atual trimestre.

A Delta vem se concentrando em reduzir sua dívida, melhorar os serviços aos clientes e expandir a oferta de voos para mercados com rápido crescimento, desde a compra da Northwest Airlines em 2008.

"Não apenas esperamos sólido aumento de receita para o trimestre que termina em dezembro como a demanda aparenta ser forte para a temporada de férias... Esperamos que o aumento de receita nos ajude a ter o primeiro quarto trimestre lucrativo em uma década", disse o vice-presidente financeiro da Delta, Hank Halter, em comunicado aos funcionários da companhia aérea.

A US Airways também divulgou lucro no terceiro trimestre nesta quarta-feira, revertendo prejuízo um ano antes.

Reduções da oferta de voos e tarifas mais elevadas melhoraram a situação das companhias aéreas norte-americanas depois de dois anos de demanda baixa no setor aéreo do país.

A Delta teve lucro líquido de US$ 363 milhões, ou  US$ 0,43 por ação, no terceiro trimestre, comparado ao prejuízo de US$ 161 milhões, ou US$ 0,19 por ação, um ano antes.

Excluindo itens como encargos relacionados à redução da dívida, o lucro da Delta foi de US$ 1,10 por ação. Analistas esperavam, em média, lucro nessa base de US$ 0,94 por ação, segundo a Thomson Reuters I/B/E/S.

A receita operacional subiu 18%, para perto de US$ 9 bilhões, superando a previsão de analistas de US$ 8,82 bilhões.

A Delta era até o começo deste mês a maior companhia aérea do mundo, posto que perdeu quando a UAL Corp completou a aquisição da Continental Airlines para formar a United Continental Holdings.

(Por Karen Jacobs)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.