Evaristo Sa/AFP
Evaristo Sa/AFP

DEM e Novo são 100% a favor da reforma; PSL entrega 50 votos de 53

Segundo levantamento feito pelo Estado, reforma possui os 308 votos necessários para ser aprovado

Bruno Moura, Douver Barros e Rebeca Ramos, especiais para o Estado, O Estado de S.Paulo

10 de julho de 2019 | 14h53

O Placar da Previdência do Estado mostra, na tarde desta quarta-feira, 10, que o DEM e o Novo são os únicos dois partidos com 100% de intenção de voto a favor da proposta que altera as regras para se aposentar no Brasil.

Segundo o levantamento, 29 de 30 deputados da bancada do DEM manifestaram apoio à reforma. Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara, não vota e por isso não está contabilizado. Os ministros Onyx Lorenzoni (Casa Civil) e Tereza Cristina (Agricultura) aumentaram a bancada do partido apenas para esta votação. Eleitos deputados, ambos estão licenciados por serem ministros, mas foram exonerados e voltaram ao mandato para garantir segurança de votos ao Planalto. Os oito deputados eleitos pelo Novo também disseram que votariam a favor do texto.

O PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, tem 50 votos "sim", de uma bancada de 53 deputados. Até esta terça-feira, 9, o partido dividia a liderança entre os partidos com o PT, ambos com 54 deputados, mas a volta de Onyx Lorenzoni tirou Marcelo Brum (PSL/RS) desta votação. O PSL garante, até a ultima atualização do Placar da Previdência, 92% de apoio em sua bancada. 

O chamado Centrão, bloco independente ao governo, está garantindo 77% de apoio entre seus deputados. Dos 149 membros dos 5 partidos do grupo - DEM, PRB, PL, Solidariedade e PP- aptos a votar, 116 declararam voto favorável ao Estado, enquanto três se dizem contrários. 12 estão indecisos, 17 não quiseram responder, e o presidente da Câmara não vota.

O Solidariedade, que fechou questão a favor da reforma (o que significa que orienta seus deputados a votarem sim, com possibilidade de punição aos que não obedecerem), tem 13 votos favoráveis de uma bancada de 14 deputados. Apenas de o presidente do partido, Paulinho da Força (SP), ser contrário. O Estado ligou novamente para o deputado, que confirmou a intenção de votar contra o texto.

O PRB entrega 26 votos de uma bacada de 31. Já o PP, com 38 deputados, possui 28 favoráveis. No PL (antigo PR), 20 são a favor num universo de 36 parlamentares. É o menor índice entre os partidos do Centrão, com apenas 55,5% de apoio. 

O PSDB reúne 25 favoráveis entre os 30 deputados de sua bancadas. Já o PSD tem 26 deputados que votam sim de 35 eleitos pelo partido. A maioria no MDB é a favor, com 21 votos de um total de 34 congressistas.  Podemos, com 11 deputados, contabiliza 9 a favor. Dos oito congressistas do Cidadania (PPS), os sete que responderam ao Estado votam pela reforma. 

Contrários

O Placar da Previdência chegou a 115 votos contra. O PT engordou esse número com seus 54 parlamentares. O mesmo fez o PCdoB e o Psol, oito e 10 deputados contrários à reforma, respectivamente. Os três partidos estão totalmente contrários ao texto. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.