Demanda do consumidor por crédito registra 3ª queda

A demanda dos consumidores brasileiros por crédito teve em outubro a terceira queda mensal consecutiva, movimento atípico às vésperas do recebimento da primeira parcela do 13º salário e das festas de fim de ano. É o que aponta indicador divulgado hoje pela empresa de análise de crédito Serasa Experian. No mês passado, o número de consumidores que recorreram a financiamentos junto a bancos, financeiras, crediários e cartões de crédito recuou 0,4% ante setembro deste ano. Em contrapartida, a busca por crédito apresentou ligeira alta de 0,8% em comparação a outubro de 2008, mês de agravamento da crise financeira mundial no País.

GUSTAVO URIBE, Agencia Estado

10 de novembro de 2009 | 17h23

Os economistas da entidade atribuem o resultado mensal a um provável esgotamento, no curto prazo, da capacidade de endividamento dos consumidores, que durante os meses de julho e agosto deste ano recorreram largamente ao crédito devido à normalização da oferta pelo sistema financeiro e à queda dos juros, bem como pelo aumento da confiança dos consumidores. Eles responsabilizam ainda a queda da demanda pelo início da retirada gradual de alguns estímulos fiscais que foram relevantes para recolocar a economia brasileira em rota de crescimento, como a redução do IPI sobre automóveis e eletrodomésticos.

Os técnicos da Serasa Experian apontam ainda que o desempenho negativo da procura por crédito foi puxado pelos consumidores de alta renda, com rendimento mensal superior a dez mil reais. Esse estrato apresentou queda de 3,1% em outubro ante setembro, mais um recuo após ter caído 5,1% em setembro ante agosto. No acumulado de janeiro a outubro deste ano, contudo, essa faixa de renda segue registrando a menor queda na procura por crédito, de 1,3%, em relação ao mesmo intervalo de 2008.

Os consumidores das camadas intermediárias, com renda entre mil e dois mil reais mensais, tiveram quedas também em outubro, de 3,3% em relação a setembro e 1,6% ante outubro de 2008. Na contramão, os consumidores da base da pirâmide social, que ganham até R$ 500 por mês, expandiram a sua demanda por crédito em 2,3% ante setembro. Essa foi a primeira variação positiva após três baixas mensais consecutivas.

Por região geográfica, a queda de 0,4% na demanda por crédito foi puxada pelos consumidores das regiões Centro-Oeste, Sul e Nordeste, cujas variações mensais em outubro ante setembro foram de -5,2%, -5% e de -1,3%, respectivamente. No acumulado de janeiro a outubro de 2009, em comparação com o mesmo período do ano passado, todas as regiões apresentaram queda na procura por crédito. O maior recuo foi observado na região Nordeste (-4,6%), seguido pelo registrado no Sudeste (-3,8%) e no Norte (-3,4%). As demais regiões (Centro-Oeste e Sul) seguem com variações negativas de -1,1% e -1,9%, respectivamente.

O indicador de demanda por crédito da Serasa é calculado a partir de amostra de Cadastros Nacionais de Pessoa Jurídica (CNPJ) de cerca de 1,2 milhão de empresas consultadas mensalmente.

Tudo o que sabemos sobre:
créditoSerasaconsumidor

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.