finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Demanda faz algodão acumular alta de 7,5% na semana nos EUA

Cenário: Ana Conceição

O Estado de S.Paulo

29 de outubro de 2011 | 03h06

O mercado do algodão em Nova York fechou com pequeno ganho na sexta-feira, consolidando a forte alta da véspera, que elevou a cotação da fibra para o maior nível em cinco semanas e meia. O contrato dezembro subiu 0,05%, para 104,37 centavos de dólar por libra-peso. Na semana, acumulou alta de 7,5%, graças ao forte aumento das exportações dos EUA no período. O país vendeu 385.100 fardos da fibra, ante apenas 59.300 fardos na semana anterior.

Outros mercados agrícolas tiveram desempenho tímido na sexta-feira, com os participantes ainda avaliando os efeitos do pacote de socorro para a zona do euro. Depois de uma reação positiva, a cautela tomou conta dos investidores. Em Nova York, os contratos do café com vencimento em dezembro fecharam em alta tímida de 0,23%, a 235,15 centavos de dólar por libra-peso. O mercado do açúcar destoou. O contrato março cedeu 2,64%, para 26,15 centavos, em dia de realização de lucros.

Em Chicago, o contrato dezembro do milho subiu 0,54%, cotado a US$ 6,55 por bushel. O preço do grão segue sustentado por compras da China e pela expectativa de que o Departamento de Agricultura dos EUA reduza ainda mais a estimativa para a produção do país. Na contramão, a soja fechou com queda de 1,46%, a US$ 12,17 por bushel no contrato novembro. Aqui, a situação é inversa à do milho. A demanda continua apática. A China, maior importador mundial, deve importar cerca de um milhão de toneladas menos em novembro, de acordo com estimativa do governo local.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.