Demanda por Bontes argentinos pode ser de US$ 8 bi

A demanda por Bônus do Tesouro (Bontes) com vencimento em 2006 e taxa anual de 11,75% e a por Bônus Globais com vencimento em 2012 e 12,375% pode ter chegado a US$ 8 bi, o dobro do que o mercado financeiro e o governo argentino esperavam. De acordo com estimativas do Ministério de Economia, que ainda contabilizava os resultados da operação de troca de dóivida pública ontem à noite, a metade dos investidores teriam optado por Bontes que vencem em 2006 e a outra metade por Globais que vencem em 2012. O resultado oficial do primeiro swap (troca) de dívida será conhecido oficialmente hoje. Se o volume de oferta for confirmado, o governo argentino terá maior espaço para fixar taxas de corte mais baixas, de acordo com analistas. Onrtem, o diretor da Exprinter Administradora de Valores, Renato Lessa, havia informado à que as taxas estavam dentro do nível que o mercado esperava, embora ainda um pouco acima do melhor momento para o governo, já que a semana passada o risco país estava bem mais abaixo. Se o sucesso do swap for confirmado hoje, é quase certo que o governo argentino fará outro ao final do primeiro trimestre. Uma fonte da Secretaria de Finanças antecipou à Agência Estado que o novo intercâmbio poderá ser feito ao final de março e que a decisão dessa segunda operação será tomada nas próximas semanas. À tarde, de qualquer forma, será conhecida a oferta dos investidores para a primeira operação de troca prevista pelo governo para este ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.