Demanda por energia no mundo crescerá 35%, diz estudo

A demanda por energia no mundo irá aumentar 35% no período entre 2010 e 2040, segundo estudo elaborado pela ExxonMobil. O levantamento, apresentado hoje pela primeira vez no Brasil, é feito anualmente pela empresa para embasar os investimentos a companhia no mundo. A empresa não apresentou a projeção de crescimento no Brasil.

MARIANA SALLOWICZ, Agencia Estado

18 de março de 2014 | 18h28

O documento mostra também que o gás natural será a fonte de energia que mais crescerá no mundo. "A demanda global deverá aumentar cerca de 65% entre 2010 e 2040", afirmou o consultor de energia Nicholas Jones. Pelas projeções, o gás natural deverá ultrapassar, em 2025, o carvão como a segunda maior fonte de energia, atrás do petróleo.

O estudo mostra ainda que em torno de 65% do crescimento no fornecimento do gás deverá ser proveniente de fontes não convencionais, como o gás de xisto, que serão responsáveis por um terço da produção mundial em 2040. A América do Norte irá liderar a produção de gás não convencional, sendo responsável por mais da metade da expansão entre 2010 e 2040. Segundo a pesquisa, a demanda por petróleo irá crescer aproximadamente 25% no período analisado, impulsionada por uma maior atividade do transporte comercial.

Já no caso do carvão, a avaliação é de que a demanda continue crescendo até 2025, e depois passe a cair. Isso ocorrerá pela necessidade de redução de emissões pelos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), além da China. Com isso, estima-se que a parcela do carvão na matriz energética passe de aproximadamente 25%, em 2010, para menos de 20%.

Mais conteúdo sobre:
estudoenergiademandaExxonMobil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.