carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Demanda por petróleo cairá pela 1ª vez desde 1983, diz AIE

Editor do relatório mensal da agência afirma que números de consumo estão 'dramaticamente mais fracos'

Nathália Ferreira e Daniela Milanese, da Agência Estado,

11 de dezembro de 2008 | 08h48

A Agência Internacional de Energia (AIE) divulgou nesta quinta-feira, 11, que a demanda mundial por petróleo deve diminuir este ano pela primeira vez em 25 anos, por causa do ambiente de deterioração das condições econômicas globais. Em seu relatório mensal sobre o mercado de petróleo, a agência, com sede em Paris, afirmou que prevê recuo de 0,2% da demanda global em 2008, ou 200 mil barris por dia, na primeira contração desde 1983.   Veja também: Desemprego, a terceira fase da crise financeira global De olho nos sintomas da crise econômica  Dicionário da crise  Lições de 29 Como o mundo reage à crise    "Os números de consumo estão dramaticamente mais fracos, particularmente nos EUA. Está muito clara a fraqueza que estamos vendo", disse David Fyfe, editor do relatório mensal da AIE, acrescentando que as projeções de demanda podem ser revisadas para baixo novamente.   A AIE acredita que o consumo mundial de petróleo em 2009 continuará fraco, com crescimento de apenas 0,5%, ou 400 mil barris por dia, em relação a 2008. Contudo, a agência revisou para cima essa projeção em quase 100 mil barris por dia, em relação à feita em novembro.   Brasil   O relatório aponta ainda que o Brasil será um dos alicerces para o crescimento da produção mundial de petróleo em 2009. Ao lado dos Estados Unidos, Austrália, China e Azerbaijão, o País é citado como um dos países de fora da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) que contribuirão para o aumento da oferta no próximo ano.   Conforme a entidade, a produção de etanol também irá ajudar a compensar a queda de oferta a ser registrada em outros locais, como na região do Mar do Norte, México e Rússia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.