finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Demanda reaparece e milho sobe 3,66%

A demanda internacional voltou a dar sinais de força e elevou os preços do milho na Bolsa de Chicago. O contrato maio disparou 3,66%, para US$ 7,22 por bushel, influenciado pela venda de 1,5 milhão de toneladas feita pelos Estados Unidos na semana, um volume bem maior que o esperado por analistas do mercado. Pela quarta semana consecutiva o país exportou mais de um milhão de t do grão, fato raro. Enquanto isso, o consumo doméstico deve seguir alto nos Estados Unidos. A Sanderson Farms Inc., quarta maior processadora de carne de frango do país, anunciou na semana passada que não reduzirá a produção, apesar do aumento dos custos, para não prejudicar os produtores de aves. Rivais como a Tyson Foods Inc. e a Pilgrim''s também devem manter o nível de produção.

Análise:Ana Conceição, O Estado de S.Paulo

26 de fevereiro de 2011 | 00h00

Os mercados de grãos e de outras commodities agrícolas ganharam mais confiança na sexta-feira, diante das garantias da Arábia Saudita e da Casa Branca de que eventuais déficits na oferta de petróleo, por causa do conflito político na Líbia, serão supridos. A disparada dos preços da energia ameaça desacelerar o ritmo de recuperação da economia mundial, o que provocou uma queda generalizada de preços durante a semana.

Em Chicago, os contratos da soja para maio subiram 3,44%, para US$ 13,75 por bushel e os do trigo avançaram 3,67%, para US$ 8,1125. Em Nova York, o açúcar disparou 4,3%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.