Divulgação
Divulgação

Demissões em montadoras poderão provocar cortes nas concessionárias, diz Fenabrave

Por carta, Volkswagen confirmou a demissão de 800 funcionários na fábrica de São Bernardo do Campo, que resultou em greve

Igor Gadelha, O Estado de S. Paulo

06 de janeiro de 2015 | 13h27

As demissões nas montadoras de veículos brasileiras poderão impactar nos empregos nas concessionárias, reconheceu há pouco o novo presidente da Federação Nacional da Distribuidores de Veículos Automotores (Fenabrave), Alarico Assumpção Júnior. 

"Claro que essas demissões nas montadoras pioram o cenário para as concessionárias. Se você produz menos, você vende menos", afirmou em entrevista à imprensa, ponderando que o impacto vai depender de cada grupo empresarial.

O dirigente afirmou, contudo, que a piora não deve ser grande, pois o setor já vem se "adequando" ao novo cenário econômico nos últimos dois anos. Questionado, ele não soube precisar quantos empregos foram cortados nas redes nesse período, informando apenas que o setor tem atualmente 409 mil trabalhadores nas redes de distribuição.

Assumpção fez questão de ponderar ainda que, apesar do cenário ruim, o número de concessionárias aumentou no ano passado para 8 mil, ante cerca de 7,6 mil no ano anterior. Para 2015, ele afirmou que sua "opinião pessoal" é de que esse número não deve cair. 

Nesta terça-feira, a Volkswagen confirmou a demissão de 800 funcionários na fábrica de São Bernardo do Campo, em São Paulo. Com a decisão, trabalhadores resolveram entrar em greve por tempo indeterminado. Outras fábricas também devem anunciar demissões neste início de ano. 

Tudo o que sabemos sobre:
indústriafenabrave

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.