Demissões na IBM podem ser 5 mil em 2 semanas

Depois de duas semanas de notificações de demissão em mais de uma dezena de fábricas nos Estados Unidos, a IBM parece ter cortado quase 5 mil empregos. A companhia não divulgou nenhum comunicado oficial sobre a extensão dos cortes; disse apenas que algumas unidades estão reduzindo por si mesmas a força de trabalho e consolidando operações. "As pessoas estão ficando bastante chateadas com o fato de a companhia não estar sendo honesta a respeito da extensão e dos números de cortes de emprego", disse Lee Conrad, que admimistra agora a AllianceIBM, uma divisão do sindicato Communications Workers of America, que está tentando reunir os funcionários da IBM. "Parece que nós somos os únicos que temos os números e os estamos divulgando", acrescentou. Informações de dentro da empresa, reveladas por Conrad e outros, apontam mil cortes na divisão de servidores da IBM, 700 na de software, 100 na unidade financeira global, 360 nas sedes corporativas, 300 na divisão de estoques e mais de 2 mil mil na maior de suas unidades, a IBM Global Services. Os cortes parecem estar espalhados entre os 150 mil funcionários da companhia nos EUA. A porta-voz da IBM, Laura Keeton, classificou os cortes como um esforço para "reequilibrar capacidades e eliminar redundâncias." Keeton destacou que algumas das divisões envolvidas nos cortes estão também procurando novos empregados. A de software conta com mais trabalhadores do que empregava no ano passado, apesar de ter demitido 700, disse Keeton. Os 2 mil cortes na divisão de serviços globais são "parte natural do fluxo e refluxo do negócio de serviços", sendo as demissões uma parte regular dos contratos de trabalho temporários, disse ela. O medo de demissões aumentou com os resultados da IBM do primeiro trimestre, seu pior desempenho em mais de uma década, e seguidas indicações do executivo-chefe, Samuel Palmisano, de que a IBM iria reduzir sua força de trabalho de 320 mil empregados. Ele sugeriu que a redução poderá ser de 15 mil postos neste ano. Palmisano disse que a companhia tentaria cortar entre US$ 1 bilhão e US$ 2 bilhões em custos. Hoje, as ações da IBM fecharam em queda de 2,19%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.