Demitidos da Varig querem 5 parcelas de auxílio-desemprego

A presidente nacional do Sindicato dos Aeronautas, Graziela Baggio, informou , no Rio, que os funcionários da Varig querem que o governo federal estenda ao setor aéreo o pagamento do auxílio-desemprego em cinco parcelas. O benefício normalmente é pago em três parcelas, mas no último dia 18, o Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat) aprovou o pagamento de mais duas parcelas para trabalhadores de setores atingidos pela desvalorização do dólar frente ao real."O setor aéreo também é considerado de exportação. E esse aumento também seria muito importante para os mais de cinco mil trabalhadores da Varig que serão demitidos", argumentou. Ela informou que a ampliação do benefício foi um dos pedidos feitos ao Ministério do Trabalho em carta enviada no dia 27 pelos sindicatos dos Aeronautas e dos Aeroviários.As duas entidades terão terça-feira, 1º de agosto, audiência no Ministério Público do Trabalho com a Varig e a Variglog para discutir sobre a rescisão de contratos dos 5,5 mil funcionários atingidos pelo programa de reestruturação da empresa.Segundo Graziela Baggio, até agora não foi apresentado nenhum plano para as rescisões. "Após os avisos de demissão, a Variglog teria dez dias para começar a pagar as rescisões contratuais. Mas achamos que ela não tem fluxo de caixa para honrar esse pagamento".De acordo com o Sindicato dos Aeroviários, a Varig deve R$71 milhões por quatro meses de salários atrasados. O pagamento referente a julho dos funcionários que não serão demitidos deve ser feito no início de agosto. As informações são da Agência Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.