Clayton de Souza/AE
Clayton de Souza/AE

Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Denise Johnson, presidente da GM Brasil, pede demissão

Primeira mulher a presidir a montadora no País, ela deixou a empresa por motivos pessoais

Economia & Negócios,

22 de fevereiro de 2011 | 13h37

A presidente da GM do Brasil, Denise Johnson, pediu demissão da montadora, menos de um ano após assumir o cargo. Segundo nota divulgada nesta terça-feira, 22, a executiva norte-americana deixa a empresa por motivos de 'ordem pessoal'.

Engenheira, ela iniciou sua carreira profissional na GM há 21 anos e foi a primeira mulher a presidir a companhia no Brasil. Desde julho do ano passado no cargo, a norte-americana negociou um reajuste salarial de 9% com sindicatos logo no início de sua gestão. 

Jaime Ardila, presidente da GM América do Sul, assume o posto até que novo executivo seja nomeado para o cargo.

Leia a íntegra da nota:

Eu lamento informá-lo(a) que a Presidente da GM do Brasil, Denise Johnson, decidiu deixar a empresa em busca de novas oportunidades de carreira. As razões para a saída da Denise são de ordem pessoal. Quero aproveitar esta oportunidade para agradecer a Denise por suas contribuições à General Motors e, especialmente, à GM do Brasil durante sua gestão aqui.

Até que um novo executivo seja nomeado para o cargo, eu assumirei as responsabilidades de Presidente da GM do  Brasil em adição às responsabilidades como Presidente da GM América do Sul.

Jaime Ardila

Presidente da GM América do Sul

Tudo o que sabemos sobre:
denise johnsongmpresidênciademissão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.