Denúncia contra assessor de Dirceu faz mercado esquecer juros

O mercado de juros interrompeu hoje a discussão sobre a decisão do Copom na próxima quarta-feira e operou em cima das denúncias envolvendo o subchefe de Assuntos Parlamentares da Presidência da República, Waldomiro Diniz. Os contratos futuros, os DIs, subiram e nem a avaliação positiva que se fez sobre o IPCA foi capaz de impedir a alta. O DI de janeiro, o mais liquido, fechou em 15,42%, contra 15,29% ontem.Na bolsa de São Paulo, nem o lucro recorde da Petrobras impediu a queda de 2,31%, com volume financeiro de R$ 1,215 bilhão. O dólar comercial ficou em alta o dia todo e fechou cotado a R$ 2,906 (+0,35%). No mercado externo, as denúncias também mexeram com os negócios. O C-Bond fechou em 97,500 centavos por dólar, queda de 0,53% sobre o fechamento anterior. O risco Brasil subiu 17 pontos, para 522 pontos-base.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.