Denúncias da Varig não afetam credibilidade de Dilma, diz Tarso

Para o ministro da Justiça, Dilma 'jamais determinaria, induziria ou orientaria alguém para fazer coisa ilegal'

Agência Brasil,

10 de junho de 2008 | 12h40

As denúncias de que houve irregularidades na venda da Varig não afetam a credibilidade da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, afirmou nesta terça-feira, 10, o ministro da Justiça, Tarso Genro. Para ele, Dilma "jamais determinaria, induziria ou orientaria alguém para fazer coisa ilegal".   Veja também: Turbulências da Varig    Tarso Genro minimizou o episódio, argumentando que, em seis anos de governo, já ocorreram vários "distúrbios", sem que nada afetasse a imagem do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do governo. O ministro fez as declarações depois de participar de audiência no Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) sobre a internacionalização da Amazônia.   A ex-diretora da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) Denise Abreu afirmou, em entrevista na semana passada ao Estado, que foi pressionada pela ministra Dilma Rousseff e pela secretária-executiva da Casa Civil, Erenice Guerra, para tomar decisões favoráveis à venda da VarigLog e da Varig ao fundo americano Matlin Patterson e aos três sócios brasileiros. A ministra-chefe da Casa Civil disse que as acusações são falsas.   Estratégia da oposição   As bancadas do PSDB e do DEM, no Senado, devem fazer reuniões em separado na tarde desta terça para discutir o quadro político a partir das denúncias de irregularidades na venda da Varig para a Gol e o envolvimento da ministra Dilma neste caso. No final do dia, os dois partidos de oposição devem ter reunião conjunta na tentativa de obter uma estratégia comum para a audiência pública prevista para quarta-feira, na Comissão de Infra-estrutura do Senado.   Deverá participar da audiência pública Denise Abreu, ex-diretora da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), autora das denúncias sobre as irregularidades na venda da Varig. Também está prevista a participação de ex-dirigentes da Anac e procuradores do órgão e da procuradoria geral da Fazenda Nacional.   (com Cida Fontes, de O Estado de S. Paulo)

Tudo o que sabemos sobre:
VarigDilmaGolDenise Abreu

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.