Depoimento de Duda mexe com o mercado financeiro

O depoimento do publicitário Duda Mendonça na CPI do Mensalão (ou da Compra de Voto) está provocando uma reviravolta no mercado. Duda admitiu que recebeu recursos de caixa 2 do empresário Marcos Valério em conta no exterior para quitar dívidas de campanha eleitoral de candidatos do PT em 2002. O publicitário não chegou a afirmar que a campanha do então candidato Luiz Inácio Lula da Silva foi paga com dinheiro de caixa 2, acrescentando que é possível dividir o que é dinheiro oficial do que é dinheiro de caixa 2 nas campanhas para candidatos do PT.Mas a declaração de Duda foi suficiente para acirrar os ânimos da oposição, levando o senador Álvaro Dias (PSDB-PR) a afirmar que não dá mais para não falar em impeachment do presidente Lula. O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), em conversa com o presidente do PFL, Jorge Bornhausen, disse que "a sensação é de que há um clima de impeachment".Tanto o depoimento de Duda quanto as declarações dos senadores tucanos fizeram o Ibovespa - índice que mede o desempenho das ações mais negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) - acentuar o movimento de baixa, atingindo a mínima do dia, com 26.618 pontos (-1,84%).O mercado cambial também reflete o novo clima político e, por volta das 15h15, o dólar estava na cotação máxima do dia, em alta de 3,20%, vendido a R$ 2,3520. O dólar ainda reflete a alta do petróleo e o entendimento do mercado de que o Banco Central está disposto a voltar à compra de dólares.Na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), os contratos com juros pós-fixados (DI) com vencimento em janeiro de 2007 subiam para 17,85%, ante 17,58% no fechamento de ontem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.