Depois da queda da Selic, bancos anunciam redução das taxas

Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Bradesco reduziram taxas

Agência Estado,

18 de julho de 2007 | 21h08

Após o corte de 0,5 ponto na Selic, a taxa básica de juros da economia, alguns bancos já anunciaram redução das taxas. Exemplo disso é o Banco do Brasil, onde as novas taxas do cheque especial, cartão de crédito e linhas de crédito direto ao consumidor (CDC) começam a valer a partir de segunda-feira, 23.   As taxas mínimas do cheque especial e do cartão de crédito serão reduzidas de 1,90% ao mês para 1,86% ao mês. Para as taxas máximas, a redução foi de 7,60% ao mês para 7,56% ao mês. No crédito direto ao consumidor (CDC) foram reduzidas as taxas do BB Crédito Salário (de 4,24% para 4,21% ao mês), do CDC Empréstimo Eletrônico e o CDC Renovação (de 4,53% para 4,50% ao mês) e do BB Crédito Parcelado Cartão (de 3,04% para 2,99% ao mês).   O BB reduziu também as taxas de juros do Cheque Ouro Empresarial e do BB Giro Rápido Rotativo nas modalidades destinadas ao segmento de micro e pequenas empresas - a taxa mínima agora é de 4,93% ao mês e a máxima de 7,51% ao mês ante os 4,97% ao mês e 7,55% ao mês cobradas até agora, respectivamente.   A Caixa Econômica Federal (CEF) informou que também reduzirá as taxas de juros de algumas operações de crédito para pessoas físicas e jurídicas. Alguns cortes são pequenos, como o do crédito consignado, cuja taxa mínima passa de 1,07% ao mês para 1,06% ao mês. No Crédito Direto Caixa (CDC), a taxa mínima cairá de 3,59% para 3,49%ao mês.   No segmento pessoa jurídica, a Caixa decidiu reduzir a taxa das operações de desconto: a máxima cai de 2,34% ao mês para 1,91% ao mês, e a mínima passa de 1,66% para 1,40% ao mês. Nas operações Credi-Frota, voltadas para o segmento de locação de automóveis, a taxa mínima passará de 1,65% ao mês para 1,26% ao mês.   Bradesco - Já o Bradesco anunciou a redução das taxas de juros em empréstimos e financiamentos para pessoas físicas e pessoas jurídicas. De acordo com comunicado do banco, os juros do cheque especial caíram de 7,95% ao mês para 7,91% ao mês na máxima, e de 4,42% ao mês para 4,39% ao mês na mínima.   As taxas do crédito pessoal foram reduzidas de 5,51% ao mês para 5,47% ao mês na máxima, e de 2,36% ao mês para 2,32% ao mês na mínima. O crédito pessoal consignado para Aposentados INSS será operado com taxa mínima a partir de 1,20% ao mês. Na modalidade CDC Veículos, a taxa foi reduzida de 2,44% ao mês para 2,40% ao mês na máxima, e de 1,29% ao mês para 1,25% ao mês na mínima. As taxas do CDC Bens caíram de 3,94% ao mês para 3,90% ao mês na máxima, e de 2,46% ao mês para 2,42% ao mês na mínima.   Para empresas, os juros do Capital de Giro caíram de 4,38% ao mês para 4,34% ao mês na máxima, e de 2,82% ao mês para 2,78% ao mês na mínima. Os juros da linha de Desconto de Duplicatas e de Cheques foram reduzidas de 4,09% ao mês para 4,05% ao mês na máxima. Já as taxas da Conta Garantida tiveram quedas de 6,30% ao mês para 6,26% ao mês na máxima. O novo patamar de juros passa a vigorar a partir de quinta-feira, 19 de julho em todas as agências da instituição.

Tudo o que sabemos sobre:
SelicCopomJuros

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.