Depois das lojas, um banco conceitual

O banco BNP Paribas quer estabelecer um novo conceito de relacionamento com o cliente. Em dezembro do ano passado, inaugurou na Place de l"Opéra, em Paris, uma agência que tenta transformar o sisudo cenário bancário em um espaço mais amigável e acolhedor.

, O Estado de S.Paulo

21 de fevereiro de 2011 | 00h00

A mudança é tanta que quem olha à primeira vista pode pensar que está em um hotel luxuoso e de design contemporâneo da capital francesa.

Dividida em dez setores, a agência foi projetada pelo arquiteto Fabrice Ausset - conhecido por modernizar vários hotéis e restaurantes de Paris. Os novos setores são destinados para públicos específicos.

Foi planejado, por exemplo, um espaço voltado para clientes jovens, outro para investidores mais experientes e ainda uma área para as crianças se divertirem enquanto os pais fazem suas operações bancárias.

Nas paredes, nada do branco ou das cores mais gélidas. A aposta de Ausset foi nas tonalidades fortes e na variedade de formas e texturas. As cadeiras sérias foram trocadas por sofás e poltronas modernas espalhados pela agência, o que, convenhamos, pode tornar uma negociação mais prazerosa. Assinam o mobiliário artistas como os designers franceses Christophe Delcourt, Philippe Starck e a iraniana radicada em Paris India Mahdavi.

O projeto da nova agência do PNB Paribas levou quase um ano e meio para chegar à versão final e as obras duraram nove meses.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.