Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
StckXchng
StckXchng

Depois do almoço, a pior hora do dia em qualquer escritório

Pesquisa feita em Londres aponta que o horário das 14h55 é o mais difícil em termos de produtividade

Economia & Negócios,

05 de junho de 2013 | 15h24

SÃO PAULO - Um estudo feito na Inglaterra identificou o horário das 14h55 como o mais improdutivo nos escritórios. É a hora em que, se o chefe olhar ao redor, vai localizar muitos subalternos bocejando, conversando ou tomando um cafezinho para acordar.

Alguns funcionários podem até estar concentrados na tela do computador, mas provavelmente estarão navegando em algum site de notícias ou nas redes sociais. Comer um chocolate também foi citado como uma estratégia para tentar 'pegar no tranco' após o almoço

A pesquisa feita pela empresa London Offices tomou por base 400 entrevistas com trabalhadores de escritórios para determinar a produtividade ao longo do dia. A maioria dos entrevistados disse que o horário imediatamente após o almoço é o pior do dia em termos de produtividade, segundo reportagem publicada no jornal italiano Corriere Della Sera.

É o momento em que muitos sentem grande sonolência, socorrem-se no cafezinho ou entram em redes sociais para tentar marcar algum compromisso interessante para após o expediente.

Para escapar da sensação de cansaço durante a digestão, muitos conversam com os colegas próximos. A técnica de olhar fixamente para o computador também foi citada como estratégia para deixar o tempo passar sem correr o risco de levar uma bronca da chefia.

O estudo identificou que o horário mais produtivo é exatamente às 10:26. Neste momento, os funcionários já responderam a todos os e-mails e estão com a rotina planejada, colocando as tarefas em prática.

Dezoito minutos antes do final do horário de trabalho, a produtividade volta a cair, quando muitos começam a conferir o relógio e os pensamentos voam para locais bem distantes do trabalho.

Notícias relacionadas
Tudo o que sabemos sobre:
Trabalhosonopreguiça

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.