Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Depois dos carros, governo corta IPI dos caminhões

Alíquota atual de 5% será zerada até fim de março para incentivar vendas

Cleide Silva, O Estadao de S.Paulo

18 de dezembro de 2008 | 00h00

O governo federal publica amanhã no Diário Oficial decreto que reduz de 5% para zero a alíquota do Imposto sobre Produtos Industrializado (IPI) para caminhões. A medida entra em vigor uma semana depois do anúncio do corte do mesmo imposto para os automóveis, com o objetivo de ajudar a indústria automobilística a recuperar vendas e garantir empregos.A isenção vai valer até o fim de março, mesmo período previsto para o incentivo aos automóveis. O mercado de caminhões registrou queda de 22,2% em novembro na comparação com outubro, para 9.292 unidades. O setor também vinha de seguidos meses de recordes, filas de espera de até nove meses mas, a partir de outubro, desacelerou.As fabricantes passaram a dar férias coletivas e pelo menos uma delas, a Volvo, de Curitiba (PR), anunciou 430 demissões no início do mês. Diante dos bons resultados até setembro, o segmento ainda fechará o ano com crescimento de cerca de 28% em relação a 2007.Até novembro, foram licenciados 113.781 caminhões de todos os portes, um crescimento de 27,1% em relação ao mesmo período do ano passado. No setor, a queda do IPI está sendo vista como um incentivo à economia como um todo, pois normalmente os caminhões são usados para o transporte de mercadorias - é um bem de investimento e produção.A redução do IPI de 7% para zero para carros com motor 1.0 e o corte de 50% na alíquota para modelos com motores de 1.4 a 2.0 (para 5,5% e 6,5%, de acordo com o tipo de combustível) animou o mercado no fim de semana, com feirões e lojas lotados. O resultado das vendas, por enquanto, contribuiu para reduzir a queda nos negócios que vinha sendo registrada nos dez primeiros dias do mês, da ordem de 10% na comparação com igual período de novembro.Até o dia 16, o porcentual de queda baixou para 4,4%, com 93,3 mil registros de licenciamento de automóveis e comercias leves em todo o País. Já em relação a dezembro do ano passado, a queda no mesmo período beira os 30%. Dezembro foi o segundo melhor mês do ano em vendas em 2007, com 242,2 mil unidades.ESTOQUESLojistas informam que os licenciamentos devem atrasar neste mês, pois todo o estoque de veículos que estava nas lojas antes da mudança do IPI está sendo refaturado pelas fábricas para aplicar o imposto menor. Muitos consumidores que compraram carros agora podem ter de esperar até duas semanas para retirá-los e providenciar o licenciamento.De acordo com a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), no início do mês havia 305,6 mil veículos estocados, dos quais 103,5 mil nas concessionárias e 202,1 mil nos pátios das fábricas. O volume equivale a quase dois meses de vendas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.