Depois dos carros, governo corta IPI dos caminhões

O governo federal publica amanhã no Diário Oficial da União decreto que reduz de 5% para zero a alíquota do Imposto sobre Produtos Industrializado (IPI) para caminhões. A medida entra em vigor uma semana depois do anúncio do corte do mesmo imposto para os automóveis, com o objetivo de ajudar a indústria automobilística a recuperar vendas e garantir empregos.A isenção vai valer até o fim de março, mesmo período previsto para o incentivo aos automóveis. O mercado de caminhões registrou queda de 22,2% em novembro na comparação com outubro, para 9.292 unidades. O setor também vinha de seguidos meses de recordes, filas de espera de até nove meses mas, a partir de outubro, desacelerou. As fabricantes passaram a dar férias coletivas e pelo menos uma delas, a Volvo, de Curitiba (PR), anunciou 430 demissões no início do mês. Diante dos bons resultados até setembro, o segmento ainda fechará o ano com crescimento de cerca de 28% em relação a 2007.Até novembro, foram licenciados 113.781 caminhões de todos os portes, um crescimento de 27,1% em relação ao mesmo período do ano passado. No setor, a queda do IPI está sendo vista como um incentivo à economia como um todo, pois normalmente os caminhões são usados para o transporte de mercadorias - é um bem de investimento e produção. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.