Depósitos em planos de previdência privada crescem 50% e chegam a R$ 19 bilhões

Depósitos em planos de previdência privada crescem 50% e chegam a R$ 19 bilhões

Balanço divulgado pela FenaPrevi mostra que os brasileiros estão mais preocupados em garantir uma aposentadoria tranquila

O Estado de S. Paulo

19 de novembro de 2014 | 12h24


SÃO PAULO - Os brasileiros estão mais preocupados com a qualidade de vida na aposentadoria, a julgar pelos resultados das empresas que vendem planos privados de previdência. Os depósitos feitos por titulares de planos abertos de caráter previdenciário chegaram a R$ 19 bilhões no terceiro trimestre, um aumento de  49,98% em comparação ao mesmo período do ano anterior (R$ 12,7 bilhões). 

No terceiro trimestre de 2014, a captação líquida (diferença entre arrecadação e resgates) do sistema encerrou o período com saldo positivo de R$ 9,1 bilhões, contra R$ 1,3 bilhão no mesmo período de 2013, de acordo com levantamento da Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (FenaPrevi), que representa 71 seguradoras e entidades abertas de previdência complementar no País. 

No acumulado de janeiro a setembro de 2014, as contribuições feitas por titulares de planos abertos de caráter previdenciário somaram R$ 56,7 bilhões, uma alta de 10,29% frente aos R$ 51,4 bilhões registrados no mesmo período em 2013. 

Na análise por modalidade, as contribuições aos planos individuais totalizaram R$ 49,4 bilhões, com aumento de 8,83% na comparação com os R$ 45,4 bilhões no período em 2013. Já o total de recursos destinados a planos para menores cresceu 11,47%, totalizando R$ 1,4 bilhão no período entre janeiro a setembro de 2014. 

No acumulado de janeiro a setembro de 2013 foram R$ 1,2 bilhão. Já os planos empresariais receberam R$ 5,9 bilhões no período de janeiro a setembro de 2014, 23,85% superior aos R$ 4,8 bilhões nos primeiros nove meses de 2013

Os planos individuais foram os que mais receberam recursos no terceiro trimestre: R$ 16,7 bilhões, volume 54,02% superior ao valor registrado no mesmo período do ano anterior. 

Os recursos destinados a planos para menores também avançaram. Foram R$ 454,9 milhões em contribuições, um crescimento de 12,10% sobre os R$ 405,8 milhões registrados no terceiro trimestre do ano passado. 

Os planos empresariais também registraram crescimento, alcançando o valor de R$ 1,9 bilhão em contribuições, 30,50% a mais que mesmo período de 2013. 

Na análise por modalidade de produto (VGBL e PGBL), as contribuições para planos VGBL somaram R$ 16 bilhões no terceiro trimestre, com alta de 59,19% frente aos R$ 10,1 bilhões aplicados no acumulado de julho a setembro de 2013. Já nos planos PGBL foram aplicados R$ 2 bilhões, o que representa uma expansão de 21,12%. 

Os dados da FenaPrevi mostram que o sistema de previdência privada alcançou, em setembro, 103.107 pessoas no Brasil já usufruindo benefícios (aposentadorias, pecúlios, por morte e por invalidez, e pensões, por morte e por invalidez) pagos por planos abertos de caráter previdenciário. 

Em setembro, foram computados 2,8 milhões de adesões a planos empresariais e 10 milhões de planos individuais contratados.

Com o desempenho dos planos abertos de caráter previdenciário em setembro, a carteira de investimentos fechou o mês de setembro com R$ 413,6 bilhões, expansão de 15,28% em relação a setembro de 2013. 

Na análise por tipo de produto, a carteira de investimentos do VGBL passou de R$ 229,6 bilhões em setembro de 2013 para R$ 278,7 bilhões em setembro de 2014 (alta de 21,43%). Já a carteira do PGBL cresceu de R$ 77,8 bilhões em setembro de 2013 para R$ 87 bilhões em setembro de 2014 (alta de 11,91%), no mesmo período. A carteira dos planos tradicionais, por sua vez, registrou R$ 47,2 bilhões em setembro deste ano, enquanto que o valor no mesmo mês do ano anterior foi de R$ 50,9 bilhões (-7,17%).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.