finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Depreciação cambial não afeta rating da Índia, diz Fitch

A forte depreciação da rupia indiana em meados deste ano simbolizam a difícil transição da Índia, mas os efeitos de um câmbio mais fraco não afetaram significativamente a credibilidade do país e portanto não exige nenhuma alteração no rating, afirmou a Fitch Ratings, em comunicado.

AE, Agencia Estado

21 de novembro de 2013 | 03h29

Até o momento, a economia não perdeu tanto momentum, com a agricultura e as exportações fornecendo um colchão de segurança, afirmou a Fitch, que espera uma recuperação com uma alta de 4,8% no Produto Interno Bruto (PIB) real no ano fiscal de 2014 e de 5,8% no ano fiscal de 2015, ante um crescimento de 5,0% no ano fiscal de 2013.

A modesta recuperação deverá continuar a pressionar o setor bancário, que enfrenta um enfraquecimento na qualidade dos ativos, queda nos lucros e no capital, mas isso deverá ter um efeito apenas moderado na habilidade do setor bancário em fornecer crédito à economia.

O déficit em conta corrente também está diminuindo, mas a agência de classificação de risco afirmou que esse movimento não será suficiente para proteger o país de mais pressões vindas de uma eventual redução nos estímulos do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) à economia norte-americana.

A Fitch Ratings disse que a implantação da consolidação fiscal e a continuidade do processo de ajustes econômicos apoiariam o rating soberano da Índia. No entanto, a agência de classificação de risco alertou que a habilidade das autoridades em implantar uma política fiscal e monetária mais apertada será testada nas eleições gerais, que ocorrerão em maio de 2014.

Tudo o que sabemos sobre:
ÍndiaFitch

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.