Ed Ferreira/Estadão
Ed Ferreira/Estadão

Deputado vai promover ato de desagravo contra apreensão de queijo no Rock in Rio

Presidente em exercício da Câmara, que é mineiro, vai fazer uma tarde de degustação de produto típico no Palácio do Planalto

O Estado de S.Paulo

19 Setembro 2017 | 16h17

O presidente em exercício da Câmara dos Deputados, Fábio Ramalho (PMDB-MG), promete fazer nesta quarta-feira, 20, um ato de desagravo contra a apreensão, pela Vigilância Sanitária, de queijos em pontos de venda de comida no Rock in Rio. "Como a vaca é sagrada para o indiano, em Minas temos o queijo como sagrado", asseverou.

Ramalho está organizando um evento na Casa com degustação de queijos artesanais produzidos em seis regiões de Minas Gerais e levará os produtos ao Palácio do Planalto para o presidente da República em exercício, Rodrigo Maia (DEM-RJ), experimentar. O parlamentar também convidou chefs de cozinha brasilienses para comparecer ao ato.

Entenda. O "embate dos queijos" foi deflagrado pelo deputado mineiro após a Vigilância Sanitária carioca aplicar 41 multas e inutilizar 610 quilos de alimentos nos três dias do festival. 

Foram jogados no lixo sanduíches, queijos, linguiças, embutidos, cogumelos, churros, carne de sol, especiarias e hambúrgueres considerados impróprios para consumo.

O deputado disse que ficou indignado ao ver tanto queijo jogado fora. "Todo mineiro quis chorar quando viu aquilo", afirmou.

Ramalho observou que o problema do queijo artesanal é a falta de certificação e que pretende pressionar para que a Casa dê celeridade a um projeto de lei de 2015 que regulamente a inspeção sanitária para o produto. 

"Eu como queijo desde criança, nunca adoeci nem morri comendo queijo. Nunca ouvi falar que queijo artesanal matasse ou adoecesse ninguém", protestou.

Mais conteúdo sobre:
Queijo Câmara dos Deputados Rock in Rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.