Marcelo Camargo/Agência Brasil
Marcelo Camargo/Agência Brasil

Deputados cobram de Maia definição de cronograma da reforma para os próximos dias

Câmara ainda precisa analisar 17 destaques e votar texto da reforma da Previdência em segundo turno

Mariana Haubert e Eduardo Rodrigues, O Estado de S.Paulo

11 de julho de 2019 | 12h05

BRASÍLIA - Após o encerramento abrupto da sessão de votação da reforma da Previdência nesta quarta-feira, 11, deputados cobram agora do presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), uma definição clara do cronograma para os próximos dias. A Câmara ainda precisa analisar 17 destaques à proposta, além de realizar uma votação em segundo turno.

Os parlamentares querem organizar suas viagens aos Estados e precisam saber se terão que permanecer em Brasília. Há, no entanto, uma divisão entre os que defendem que as votações entrem pela madrugada desta sexta-feira, 12, e pelo fim de semana, se necessário, e há os que defendem que as análises dos destaques prossigam até amanhã e que a votação do segundo turno da proposta fique para a semana que vem.

Por ser véspera do início do recesso, marcado para começar em 18 de julho, há o risco do quórum da próxima semana ser mais baixo do que o registrado na sessão de ontem, quando 510 deputados votaram o texto-base. Foram 379 votos a favor e 131 contrários. São necessários 308 votos favoráveis para se aprovar o texto no segundo turno também.

Apesar de ter convocado sessão para as 9 horas desta quinta, a expectativa é a de que a análise dos 17 destaques que ainda estão na pauta só seja retomada na parte da tarde. Pela manhã, Maia ainda não havia chegado à Câmara e estavam presentes na Casa apenas 307 deputados.

Tudo o que sabemos sobre:
Rodrigo Maiareforma previdenciária

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.