Desaceleração dos preços leva alívio ao governo

Depois de um início de ano recheado de dados ruins da economia brasileira, a divulgação do IPCA de 0,55% em janeiro veio como um sopro de vento favorável para a área econômica da presidente Dilma Rousseff. No front da inflação, o IPCA ficou 36% menor do que no começo de 2013 e deu uma trégua na espiral negativa que abateu a economia brasileira em 2014.

ADRIANA FERNANDES / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

08 de fevereiro de 2014 | 02h09

O resultado surpreendeu positivamente os economistas do governo, que acreditam que a queda do IPCA acumulado em 12 meses de 5,91% para 5,59% deve ajudar a melhorar o ambiente econômico e as expectativas em torno da inflação. Na avaliação da área econômica, o início favorável para a inflação deve reforçar a confiança do consumidor, que pode ter mais espaço no orçamento para aquisição de bens duráveis e semiduráveis.

O resultado também deve permitir maior demanda por crédito, dado o cenário de queda consistente nos índices de inadimplência, com baixas taxas de desemprego. O que mais chamou a atenção da equipe foi a desaceleração significativa dos preços livres, com queda de 0,92% em dezembro para 0,6% em janeiro. No mesmo mês do ano passado, os preços livres cresceram o dobro: 1,2%. A inflação de alimentação e bebidas também começa o ano pressionando bem menos o IPCA em relação ao começo de 2013, o que visto como um alívio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.