Desafio é transformar crescimento em emprego, diz Palocci

O ministro da Fazenda, Antonio Palocci, disse, no plenário da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, que a alta dos juros de mercado e da inflação, no final de 2002, já prenunciavam um comprometimento do nível de atividade em 2003. Apesar desse cenário negativo, o ministro da Fazenda enfatizou que o governo deu uma resposta pronta. O País registrou uma queda do Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro semestre do ano passado, mas já com recuperação, a partir do segundo semestre. O esforço do governo agora, segundo o ministro, é procurar garantir condições de sustentabilidade da manutenção das taxas de crescimento da economia brasileira. Ele destacou ainda que é possível cumprir o desafio posto ao País hoje que é de transformar o processo de retomada da atividade econômica em aumento da renda média e da massa salarial. Palocci aproveitou a discussão sobre emprego para cobrar dos senadores "atenção especial" ao conjunto de medidas enviadas pelo poder Executivo para melhorar as condições de crédito e investimento na área da construção civil. Segundo o ministro, o setor é fundamental para o processo de recuperação econômica e aumento na geração de empregos. Geração de empregos já existe, segundo ministro O ministro defendeu que já existe um processo de aumento efetivo da geração de empregos no País. Citando dados do ministério do Trabalho, Palocci disse que os meses de janeiro e fevereiro deste ano tiveram a maior taxa de geração de empregos dos últimos 12 anos. O fato de que houve no mesmo período um aumento de 3,5% na procura por empregos, não significa, na avaliação do ministro, uma contradição com os números do ministério do trabalho.

Agencia Estado,

30 Março 2004 | 11h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.