Descoberta de gás não aumenta lucro da Petrobras, diz M.Lynch

A descoberta de gás natural em São Paulo, anunciada ontem pela Petrobras, embora seja um fato positivo para o aumento das reservas da empresa, deverá provocar reação muito limitada do mercado, diz relatório da Merrill Lynch. Segundo o banco de investimentos, neste estágio, o principal desafio da Petrobras no mercado de gás natural doméstico é aumentar a demanda, que vem crescendo lentamente, dadas as indefinições regulatórias no que diz respeito às térmicas. Neste contexto, a descoberta provavelmente não levará a qualquer aumento nos lucros ou no fluxo de caixa pelo menos nos próximos anos. Os analistas do banco mantêm a recomendação de compra para Petrobras, afirmando que, apesar do forte desempenho recente, os papéis continuam atraentes com base nos fundamentos. O preço-alvo em 12 meses é projetado em US$ 22 por ADR, refletindo a expectativa de que os papéis devam ser negociados com desconto de 60% em relação aos seus pares. Os analistas do Merrill Lynch afirmam ainda que, embora a redução no preço dos refinados tenha sido anunciada antes do que eles previam, a rápida queda nos preços internacionais do produto e a valorização do real deixaram os preços da Petrobras cerca de 12% a 15% acima do mercado internacional.Isso permitiu que a companhia reduzisse seus preços, mantendo alguma margem para recuperar parte da receita perdida quando seus preços ficaram abaixo do mercado internacional. Do ponto de vista do negócio, manter os preços muito acima dos preços internacionais estimularia terceiros a importar o produto mais agressivamente para o Brasil. Como resultado, o corte nos preço pode ser visto também como uma tentativa de proteger sua forte posição do mercado, opinam os analistas do banco de investimentos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.