Descoberta maior área do pré-sal de Campos

Petrobrás e sócios dizem que a estimativa de reservas é de 3,5 bilhões de barris de petróleo

Sergio Torres/RIO, O Estado de S.Paulo

29 de junho de 2011 | 00h00

O consórcio formado pela Petrobrás, Repsol Sinopec e Statoil anunciou ontem ter descoberto dois níveis de petróleo de boa qualidade no poço exploratório Gávea. A estatal brasileira divulgou tratar-se da principal descoberta já feita na camada do pré-sal na bacia de Campos (litoral norte do Estado do Rio).

Gávea (poço 1-REPF-11A-RJS)está a 190 quilômetros da costa fluminense.

É um poço de águas bastante profundas. A perfuração realizada pelo navio sonda Stena Drillmax I, em águas de 2.708 metros de lâmina, atingiu a profundidade 6.851 metros.

Nos comunicados postados na internet, as associadas ao consórcio limitam-se a falar na expressividade da descoberta, mas omitem o volume de óleo estimado no poço.

O Gávea integra o bloco BM-C-33, na região batizada de Parque das Baleias, tida, até hoje, como o maior reservatório do pré-sal na bacia de Campos.

A estimativa de reservas ali é de 3,5 bilhões de barris de petróleo equivalente nos seis poços abertos. Só nos dois primeiros poços abertos estimava-se uma reserva de 1,5 bilhão a 2 bilhões de barris de petróleo equivalente.

De acordo com o comunicado da Petrobrás, o consórcio analisa os resultados do óleo extraído do poço antes de dar continuidade ao trabalho de exploração e avaliação da área.

A Petrobrás é minoritária na composição do consórcio, com 30%. A Statoil, da Noruega, tem 35%. Também com 35%, a Repsol Sinopec é a operadora do consórcio. Em dezembro do ano passado, a gigante espanhola Repsol e a petroleira chinesa Sinopec uniram-se para a exploração de blocos obtidos nas licitações brasileiras.

A joint venture é a companhia estrangeira que lidera os direitos de exploração petrolífera nas bacias de Santos, de Campos e do Espírito Santo. Ela é a operadora em seis em 16 blocos dos quais participa.

Indícios. Segundo o divulgado pela Petrobrás, a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) foi informada em março deste ano da existência de indícios de hidrocarbonetos no poço exploratório Gávea, para o primeiro nível.

No mês seguinte, houve a comunicação formal de que também em um segundo nível foram encontrados indícios da existência de petróleo.

A Petrobrás ainda informou que começou a produzir petróleo na região de Aruanã, no pós-sal da porção sul da bacia de Campos. O FPSO Cidade de Rio das Ostras produzirá até 12 mil barris de óleo por dia, segundo o comunicado.

O teste do poço 1-RJS-661 _bloco C-M-401, entre os campos de Pampo e Espadarte, com profundidade entre 350 e 1.500 metros, integra o Plano de Avaliação da Descoberta (PAD), que a ANP aprovou para o desenvolvimento da área.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.