Sandy Huffaker/NYT
Sandy Huffaker/NYT

Desconto do diesel não chega aos postos

Consumidores ainda não sentiram a queda de R$ 0,46 nos postos prometida pelo governo para acabar com a greve dos caminhoneiros em maio

Denise Luna, O Estado de S. Paulo

02 Julho 2018 | 05h00

RIO - Passado um mês do congelamento do preço do óleo diesel nas refinarias da Petrobrás, em R$ 2,03 o litro, os consumidores ainda não sentiram a queda de R$ 0,46 nos postos prometida pelo governo para acabar com a greve dos caminhoneiros em maio, segundo levantamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis referente a semana passada. 

Em relação à semana antes da greve dos caminhoneiros, de 13 a 19 de maio, quando a média do litro do diesel no País custava R$ 3,595, a queda média foi de R$ 0,20 na semana entre 24 e 30 de junho, passando a valer R$ 3,389. O desconto, porém, já é maior do que o verificado na semana anterior, sendo a quarta queda semanal consecutiva. Em relação à primeira semana da greve, de 20/5 a 26/5, a queda ficou em R$ 0,39, já que os preços dispararam com os problemas de abastecimento e estavam em R$ 3,788. Na segunda semana de greve, o preço atingiu o auge: R$ 3,828. 

As maiores reduções de preço foram verificadas nos Estados do Norte do País, porém limitadas ao teto de R$ 0,39 em Roraima. O Amapá praticou descontos de R$ 0,37, o mesmo valor para abastecer no Amazonas. Os preços na região devem cair ainda mais a partir desta semana, quando os três estados vão reduzir o preço médio ponderado ao consumidor final (PMPF) do óleo diesel, usado como base para o ICMS. 

+ Petrobrás pagará bônus por adesão a novo plano

Imposto. No total, doze Estados e o Distrito Federal anunciaram a redução no valor médio de referência para cálculo do ICMS incidente sobre o diesel vendido nos postos, em meio a esforços para concluir o corte de preço prometido pelo governo para encerrar a greve de caminhoneiros em maio. Nesse grupo, estão também Goiás, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Sergipe. 

São Paulo e Espírito Santo, primeiros estados a reduzir o ICMS, ficaram acima do preço médio do País e registraram na semana passada uma queda de R$ 0,24 e R$ 0,17, respectivamente. 

A pior situação é do Acre, que continua liderando a alta do preço do combustível, com queda de apenas R$ 0,03 na bomba, com o litro do diesel vendido por R$ 4,326. No Rio de Janeiro, a queda foi de R$ 0,27, a mesma registrada pelo Rio Grande do Norte. 

Mais conteúdo sobre:
Petrobrásóleo diesel

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.