Descontos geram polêmica

Uma empresa de Brasília - a Rádio Táxi 325-3030 - conseguiu na Justiça liminar para dar descontos de 50% no preço da tarifa. Estes patamares de desconto mostram que existe um espaço para a prática de tarifas menores. E o nível de ociosidade - tempo que o taxista está apenas aguardando um novo passageiro - também indica que com tarifas menores mais passageiros estariam usando o transporte por táxi. O motorista faria mais corridas, ficando menos tempo ocioso - tempo este que encarece a tarifa porque o custo fixo precisa ser distribuído entre os clientes que usam o serviço.O desconto na corrida de táxi ainda é tabu entre os motoristas. Os taxistas que dão descontos, consultados pelo Finanças Pessoais, pediram sigilo sobre seus nomes. Eles temem represálias dos colegas e até punições do Sindicato. O diretor do Departamento de Transportes Públicos do Município de São Paulo, José Luís Nakama, explica que na capital paulista os descontos não são proibidos. "Há um decreto, publicado na gestão da ex-prefeita Luiza Erundina, que libera a prática do desconto", diz ele. Na prática, o desconto existe, mas apenas informalmente e em casos especiais. Não existem táxis em São Paulo que ofereçam este desconto abertamente, e para qualquer cliente.O diretor comentou o desconto de 50% dado em Brasília: "Com uma diferença tão grande na planilha de custos de uma empresa e de uma Secretaria de Transportes, alguém está equivocado". Ele também disse que um desconto de 50% em São Paulo seria preocupante. Ele acredita que, no caso de uma promoção desse tipo, a prefeitura faria uma intervenção.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.