Desembolso do BNDES deve ficar abaixo do orçamento em 2005

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Guido Mantega, acredita que os desembolsos de recursos pela instituição devem ficar em R$ 50 bilhões neste ano, abaixo do orçamento de R$ 60 bilhões. Se confirmado, o montante representará um crescimento de 25% em relação a 2004.Para Mantega, as liberações não alcançarão o orçamento porque muitas empresas estão capitalizadas e várias das que precisam de recursos estão buscando-os no mercado internacional. Além disso, segundo ele, o setor agropecuário está desaquecido e, portanto, demandando menos crédito.Um quarto motivo para o desembolso menor que o esperado é o fim do programa de capitalização das distribuidoras de energia elétrica. "As elétricas se recuperaram e não há necessidade de se manter o programa de capitalização", afirmou.De janeiro a agosto, o BNDES liberou R$ 28,8 bilhões, com crescimento de 18% em relação ao mesmo período do ano passado. "O segundo semestre é sazonalmente mais aquecido do que o primeiro e por isso as liberações devem crescer nos próximos meses."EmbraerO BNDES deve lançar até o final do ano uma linha de financiamento que viabilize a compra de aviões da Embraer por companhias aéreas brasileiras. Mantega disse que a linha, em estudo, deve ter juros competitivos com o mercado internacional.Ele afirmou que o banco também estuda uma linha para a cadeia produtiva aeronáutica. "A idéia é incentivar não só a montagem de aviões no Brasil, mas também a fabricação de equipamentos no País."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.