Desembolsos do BNDES crescem 30% no semestre

Os desembolsos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) totalizaram R$ 13,7 bilhões nos seis primeiros meses do ano, o que significa aumento de 30% em relação aos primeiros seis meses do ano passado. Só em junho, o banco de fomento estatal liberou R$ 2,9 bilhões, o que mostra aceleração na liberação de recursos pelo banco nos últimos meses. Mantido esse ritmo, o banco atingirá facilmente a meta de liberar R$ 28 bilhões até dezembro, como prevê o seu orçamento. O volume total de consultas, enquadramentos e aprovações também apontam para um forte aumento das atividades do BNDES na primeira metade do ano, que continua sendo uma das poucas fontes de recursos de longo prazo no país. As consultas, que é a primeira das quatro etapas para a liberação de recursos pelo BNDES, cresceram 67,5% no período, totalizando R$ 20,56 bilhões de janeiro a junho. Os enquadramentos (pré-aprovação), totalizaram R$ 17,31 bilhões, com aumento de 55,78%, enquanto as aprovações nos primeiros seis meses do ano atingiram R$ 18,3 bilhões, com aumento de 38,68%.As pequenas e médias empresas ficaram com R$ 3,1 bilhões dos R$ 13,2 bilhões desembolsados pelo BNDES neste primeiro semestre. Isso corresponde a um aumento de 26% em relação ao total desembolsado em igual período de 2001 e a a 23% da carteira do banco. Em número de operações, o aumento foi de 93%, com um total de 46.525 contratos fechados este ano. A meta do BNDES é alocar pelo menos 25% das suas operações para as empresas de menor porte. Outro segmento considerado prioritário pelo banco, o das exportações, registrou melhor desempenho. Os desembolsos do banco para esse setor somaram US$ 1,8 bilhão nos primeiros seis meses deste ano, com crescimento de 24%, em dólares. Considerando que a variação do dólar no semestre passado ficou em 23,4%, a expansão em reais ficou muito acima da observada em igual período de 2001. Os empréstimos para a venda de aviões da Embraer continua sendo os de maior expansão. De cada US$ 4 liberados pelo BNDES na primeira metade do ano, cerca de US$ 3 foram para esse segmento, com um total de US$ 1,388 bilhão em 75 operações. O segundo setor mais apoiado para as exportações foi o de produtos alimentícios/bebida, com US$ 122 milhões, com queda de 36% em relação aos seis primeiros meses do ano passado.

Agencia Estado,

15 de julho de 2002 | 12h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.