coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Desembolsos do BNDES mostram expansão da economia

Os desembolsos do Banco Nacional deDesenvolvimento Econômico e Social (BNDES) estão crescendo emritmo acelerado este ano. Segundo dados da instituição, nosprimeiros cinco meses do ano, o maior banco de desenvolvimentodo País injetou R$ 10,8 bilhões no "caixa" dos seus clientes,com aumento de 29% em relação ao mesmo período do ano passado.Esse aumento ilustra que o setor real da economia nãofoi tomado "pela histeria", na avaliação do diretor financeiroda instituição, Isac Roffe Zagury. "Todos os nossos indicadores como novas consultas, aprovações e desembolsos estão crescendoem relação ao ano passado", exemplificou. As consultas somaram R$ 17,9 bilhões até maio, comcrescimento de 85% em relação a 2001 e o diretor do BNDES nãoacredita que a instituição esteja atuando apenas como "fontealternativa de recursos" devido às dificuldades que as empresasestão encontrando para acessar o mercado financeirointernacional. "Nós continuamos exigindo contrapartidas de 40%a 50% do investimento, o que significa que as empresas precisamcomplementar os recursos do banco", observou.AviõesSegundo Zagury, as exportações voltaram acrescer "de maneira firme" em maio e ele acredita que essatendência deve se manter. Um dos principais destaques é o setorde aviões, que assume importância cada vez maior na carteira dobanco, representando 15,9% do total nos cinco primeiros meses doano. Só em maio foram mais R$ 809 milhões liberados para osclientes da Embraer, elevando o acumulado no ano para R$ 2,043bilhões. Outro segmento que está crescendo muito é aagroindústria. "O setor rural está comprando muitos tratadorese colheitadeiras com financiamentos do BNDES, o que indica queestão acreditando na expansão da capacidade", observou. Essecomportamento sinalizaria claramente que a recente onda dehisteria no mercado financeiro não se propagou para o setorreal. "Os nossos números indicam uma situação muito diferente com as empresas expandindo capacidade", observou. Para atingira meta deste ano, orçada em R$ 28 bilhões, o banco terá deacelerar ainda mais a liberação de recursos nos próximos meses,o que, aparentemente, não será problema. As consultas, primeiradas quatro etapas para se conseguir empréstimo no banco(consultas, enquadramentos, aprovações e desembolsos) tambémestão crescendo em ritmo superior ao das liberações de recursos.O aumento dos custos na captação externa torna os recursos doBNDES ainda mais "baratos", em termos relativos. Os empréstimos do banco são concedidos, em sua maiorparte, com base na Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), comtaxas de 9,5% ao ano, mais o "spread" bancário. O volume de operações aprovadas também cresceu este ano,atingindo R$ 16 bilhões de janeiro a maio, com aumento de 63,5%em relação aos cinco primeiros meses do ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.