Desembolsos do BNDES somam R$ 66,7 bilhões em 12 meses

Comunicado da instituição ressalta hiato existente entre liberações e aprovações de recursos do banco

Paula Puliti, da Agência Estado,

11 de dezembro de 2007 | 11h34

Os desembolsos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) somaram R$ 6,831 bilhões em novembro, segundo boletim de desempenho divulgado nesta terça-feira, 11, pelo banco. Em 12 meses encerrados em novembro, a alta dos desembolsos foi de 35% em relação ao período anterior, para R$ 66,7 bilhões, número acima do orçamento previsto para este ano, em torno de R$ 65 bilhões. As aprovações acompanharam o ritmo de aceleração somando R$ 89 bilhões em 12 meses, alta de 33% sobre igual período anterior. O valor, segundo o comunicado do BNDES, mantém o hiato em relação às liberações observadas ao longo do ano. O setor de infra-estrutura continua como o principal responsável pela diferença entre o valor dos desembolsos e o das aprovações. Nos últimos 12 meses, os projetos da área receberam R$ 25,7 bilhões, alta de 44% sobre o mesmo período de 2006. As aprovações cresceram 75% na mesma base de comparação, totalizando R$ 39 bilhões no período. As maiores demandas vieram das áreas de energia elétrica, com projetos aprovados de R$ 9,8 bilhões, alta de 112%, e transportes, com R$ 16,7 bilhões e alta de 88%. Para a construção, foram aprovados R$ 4 bilhões, alta de 78%. Os desembolsos para a indústria nos últimos 12 meses até novembro subiram 21%, para R$ 30 bilhões. As aprovações subiram 6%, para R$ 37,5 bilhões, com destaque para agroindústria (alta de 140%), setor mecânico (alta de 102%), indústria extrativa (alta de 740%), para R$ 2,2 bilhões. A agropecuária teve alta de 43% nos desembolsos, para R$ 4,9 bilhões. Os desembolsos acumulados entre janeiro e novembro somaram R$ 56,6 bilhões, valor 34,2% acima do mesmo período do ano passado. Já as aprovações superaram em 23,6% o registrado em igual período de 2006, para R$ 76,9 bilhões.

Tudo o que sabemos sobre:
BNDES

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.