Desemprego atinge maior taxa em 4 anos nos EUA

A taxa de desemprego dos EstadosUnidos subiu para 5,7 por cento em julho, maior resultado emmais de quatro anos, depois que os empregadores cortaram postosde trabalho pelo sétimo mês seguido, ainda que de forma menossevera do que o previsto, mostrou uma pesquisa do governo nestasexta-feira. O Departamento de Trabalho informou que 51 mil vagas forado setor agrícola foram eliminadas em julho, levando as perdasno ano a 463 mil. Analistas ouvidos pela Reuters esperavam quefossem fechados 75 mil postos de trabalho, mas que o desempregosubisse a apenas 5,6 por cento. A taxa de desemprego em junho havia sido de 5,5 por cento. O departamento revisou as estimativas para maio e junho.Foram fechados 47 mil postos de trabalho em maio, em vez de 62mil, e em junho a perda foi de 51 mil vagas, em vez de 62 mil--totalizando 26 mil empregos a mais nos dois meses. A subida inesperadamente forte da taxa de desempregosalienta que a deterioração em curso do mercado imobiliáriocontinua a afetar o crescimento econômico. A última vez que odesemprego esteve em patamar maior foi em março de 2004, quandoa taxa atingiu 5,8 por cento. Membros do departamento disseram que o maior aumento dodesemprego esteva concentrado na faixa entre 16 e 24 anos. Alémdisso, o número de horas trabalhadas por semana caiu da médiade 33,7 horas em junho para a média de 33,6 horas, menor desdenovembro de 2004. O fechamento de postos de trabalho em julho foi amplo. Osúnicos setores que geraram empregos foram o governamental, o dehospitalidade --hotéis e turismo, por exemplo--, educação esaúde. O setor de construção cortou 22 mil vagas, e a indústriafechou 35 mil postos de trabalho. (Reportagem de Glenn Sommerville)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.