Desemprego cai pelo segundo mês seguido

A taxa de desemprego apurada pelo IBGE nas seis principais regiões metropolitanas do País caiu pelo segundo mês consecutivo e ficou em 11,7% em junho, ante uma taxa de 12,2% registrada no mês de maio. A taxa também caiu na comparação com a de 13% registrada em junho do ano passado. O IBGE divulgou que o número de trabalhadores com carteira assinada cresceu 3,2% em junho ante junho de 2003 e manteve-se praticamente estável (crescimento de 0,2%) em relação a maio. O crescimento do número de trabalhadores sem carteira assinada, no entanto, foi mais forte e atingiu 8,6% na comparação com igual mês do ano passado, mantendo-se estável na comparação com maio. Segundo o IBGE, o aumento da informalidade (empregados sem carteira) foi puxado pela região metropolitana de São Paulo.A população ocupada nas seis regiões pesquisadas somou 18,9 milhões de pessoas em junho, um aumento de 0,4% em relação a maio e de 3,3% ante junho de 2003. A população desocupada (sem trabalho e procurando emprego) também caiu pelo segundo mês consecutivo, registrando queda de 4,1% ante maio e de 8,1% ante junho do ano passado. Em junho, havia 2,5 milhões de desocupados nas seis regiões. Renda cresce 1,8% sobre mês anteriorO rendimento médio real dos trabalhadores cresceu 1,8% em junho na comparação com maio, nas seis regiões metropolitanas pesquisadas pelo IBGE. O aumento ocorreu após dois meses consecutivos de quedas na renda nesta base de comparação. Na comparação com junho do ano passado, o rendimento médio caiu 0,5%. O rendimento médio ficou em R$ 886,60 na média das regiões pesquisadas em junho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.