Desemprego comprova apatia do mercado interno, afirma Piva

A taxa de desemprego de 19,8% em fevereiro na Grande São Paulo, apurada pela pesquisa Seade/Dieese, comprova que o mercado interno continua sem reação, na opinião do presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Horacio Lafer Piva. Ele acredita que o quadro do desemprego só será alterado quando melhorarem as perspectivas do setor privado em relação aos rumos da economia. "O que puxa essa cadeia é o investimento. Só assim, teremos emprego, renda, consumo e produção", afirmou. A queda nos juros teria um importante efeito psicológico sobre o ânimo dos empresários, mas não é tudo. "É preciso um olhar mais cuidadoso sobre o impacto negativo que a nova Cofins (7,6%) terá sobre os diversos setores da economia. É necessário que se ache um mecanismo para se enfrentar o passivo fiscal que não seja apenas a elevação de impostos. É um convite à informalidade", destacou o empresário. Segundo Piva, o empresário prefere, no momento, elevar o número de horas extras de seus funcionários a iniciar um processo de contratação sem a certeza de uma retomada da atividade. Segundo a Pesquisa de Emprego e Desemprego divulgada hoje, a taxa de 19,5% é recorde para o mês desde 1985, ano em que a pesquisa começou a ser realizada. No mês anterior, a taxa estava em 19,1%.

Agencia Estado,

24 Março 2004 | 16h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.