bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Desemprego da Alemanha sobe menos que o esperado em fevereiro

O número de desempregados na Alemanha subiu em 40 mil em fevereiro, menos que o esperado, mostraram dados divulgados nesta quinta-feira, enquanto as empresas reduziram jornadas de trabalho de seus funcionários para evitar cortes maciços. Uma pesquisa realizada pela Reuters com 31 economistas apontou um aumento de 60 mil no número de desempregados no mês e o euro estendia seus ganhos após a Reuters ter divulgado um aumento menor que o esperado, dado confirmado em seguida pelo Departamento de Trabalho. Muitas empresas alemãs evitaram o pagamento de indenizações por demissão até então, utilizando o único recurso legal que permite que elas reduzam as horas de trabalho por até 18 meses. O Departamento de Trabalho registrou redução de jornada de 201 mil trabalhadores em dezembro. "Sem a redução das jornadas, o número (de desempregados) poderia ser maior. Nós esperamos que o prolongamento da redução continue a conter o aumento do desemprego", disse Joerg Lueschow, economista do WestLB. A montadora Volkswagen optou, pela primeira vez em 26 anos, por uma redução da jornada de trabalho durante uma semana. A Siemens também está reduzindo as horas trabalhadas na Alemanha. O aumento do desemprego chegou ao total ajustado de 3,331 milhões, levando a uma taxa de desemprego de 7,9 por cento, de acordo com dados do Departamento de Trabalho.

HOLGER HANSEN, REUTERS

26 de fevereiro de 2009 | 08h34

Tudo o que sabemos sobre:
MACROALEMANHADESEMPREGO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.